Exclusivo: Renault Mégane voltará ao Brasil elétrico e “quase” SUV

Mégane E-Tech Electric, que está para ser lançado na Europa, deve aportar por aqui no segundo semestre querendo brigar entre os elétricos mais vendidos
Por Leonardo Felix
13.01.2022 às 11h:18 • Att. há cerca de 15 dias
Mégane E-Tech Electric, que está para ser lançado na Europa, deve aportar por aqui no segundo semestre querendo brigar entre os elétricos mais vendidos

O Renault Mégane foi uma família de modelos médios que teve relativa importância no mercado brasileiro dos anos 2000. Lançado em 1998, sobreviveu na primeira geração como hatch (até 2003) e sedan (até 2005), sempre vindo da Argentina. Na segunda, a partir de 2006, passou a ser fabricado no Brasil nas carrocerias sedan (até 2010) e perua (até 2011).

Agora, a Mobiauto pode afirmar que o Mégane retornará ao mercado brasileiro já no segundo semestre de 2022, na recentemente apresentada configuração E-Tech Electric. Estamos falando de um crossover com traços de SUV e até de cupê, 100% elétrico e apresentado em sua versão de produção no Salão de Mobilidade de Munique em setembro do ano passado.

A marca francesa ainda não confirmou, mas tudo indica que o Mégane E-Tech será uma espécie de sucessor da quarta geração do modelo, existente na Europa desde 2016 e que nunca chegou ao Brasil. Com isso, o modelo faria uma transição rápida e definitiva para um futuro totalmente elétrico.

Anuncie seu carro na Mobiauto

Mégane E-Tech Electric, que está para ser lançado na Europa, deve aportar por aqui no segundo semestre querendo brigar entre os elétricos mais vendidos

O lançamento efetivo do modelo ainda não aconteceu nem no mercado europeu. A produção na fábrica de Douai, França, teoricamente começou no princípio deste ano, com chegada às concessionárias prevista para fevereiro. No Brasil, ele deve chegar importado no segundo semestre, provavelmente último trimestre de 2022. 

Vale observar que o Mégane E-Tech não faz parte da lista de sete carros que a Renault prometeu para nosso mercado até o fim da primeira metade deste ano, com investimento de R$ 1,1 bilhão. Na verdade, ele chegará para ajudar a preencher a lacuna entre este e o próximo ciclo de investimentos da marca no país, previsto para 2024.

Nesse período de um ano e meio até a chegada do sucessor do Stepway (projeto HJF) e do SUV de sete lugares Bigster, a fabricante precisará movimentar o mercado com modelos importados, e apostará fortemente no segmento de produtos eletrificados.

Leia também: Novo Renault Kwid terá pintura azul do Duster. Veja data de lançamento

Mégane E-Tech Electric, que está para ser lançado na Europa, deve aportar por aqui no segundo semestre querendo brigar entre os elétricos mais vendidos

É nesse cenário que surgirá o Mégane E-Tech, que não entrará no mercado para brincar. Sua missão será brigar para ser um dos carros elétricos mais comercializados no país, com mais apelo para vendas no varejo, enquanto o Kwid E-Tech, por exemplo, será voltado a vendas para empresas.

Para isso, além do visual chamativo e diferentão, que inclui acabamento dourado nos para-choques, o “quase SUV” elétrico trará a plataforma modular elétrica CMF-EV, formada por módulos de baterias do tipo NMC (lítio-óxido-manganês-cobalto), com maior densidade de energia e, portanto, menor volume.

Seu conjunto pesa só 70 kg a mais e é cerca de 40% mais fino que o do primo Zoe, mesmo tendo capacidade bem maior, o que se traduz em ganho de distribuição de peso e aerodinâmica. O Mégane E-Tech terá duas opções de baterias, com 40 kWh (300 km de alcance, segundo o ciclo WLTP) e 60 kWh (470 km). A segunda deve ser a escolhida para o Brasil.

Leia também: Exclusivo: Renault Kwid ganhará versão elétrica no Brasil em 2022

Mégane E-Tech Electric, que está para ser lançado na Europa, deve aportar por aqui no segundo semestre querendo brigar entre os elétricos mais vendidos

Também são duas as opções de motor elétrico: 130 cv de potência e 25,5 kgfm de torque; 218 cv e 30,6 kgfm. No segundo caso, o 0 a 100 km/h ficará em 7,4 segundos, de acordo com a fabricante. Já o seu sistema de frenagem regenerativa contará com quatro níveis de atuação, como no Audi e-tron.

O elétrico também terá faróis e lanternas de LED com iluminação inteligente, rodas de até 20” de diâmetro, um quadro de instrumentos digital de 12,3” e uma central multimídia cuja tela pode chegar a 12”. Esta última se chama OpenR Link e possui um sistema operacional Android, com acesso a várias plataformas e ferramentas do Google.

Em dimensões, o Mégane E-Tech medirá 4,21 metros de comprimento (quase o mesmo de um VW T-Cross), 1,80 m de largura (próximo ao Jeep Compass), 1,50 m de altura (um pouco menos que um VW Nivus) e 2,70 m de entre-eixos (igual a um Toyota Corolla). O porta-malas tem capacidade de 440 litros, mesmo volume de um Toyota Corolla Cross.

Isso mostra o quanto o elétrico é versátil em sua proposta e flerta com diversos segmentos e tipos de veículo ao mesmo tempo. Já o preço deve ficar na faixa de R$ 250.000 a R$ 300.000, para que o Mégane E-Tech brigue com Nissan Leaf e os novos VW da família ID (ID.3 e ID.4).

Imagens: Divulgação

Você também pode se interessar por:

Avaliação: Renault Zoe, como anda o elétrico mais acessível no Brasil
Avaliação: Renault Stepway, o único Sandero a ainda ser 1.6 CVT
Nova Renault Oroch perderá o nome Duster e terá visual exclusivo
Avaliação: Renault Captur 2022, como SUV anda com motor turbo de 170 cv 

Renault Mégane
Renault Mégane elétrico
Renault Mégane E-Tech
Novo Renault Mégane E-Tech Electric
Renault Mégane de volta ao Brasil
rosto de óculos escuros

Comentários