Exclusivo: Caoa Chery Tiggo 3X terá motor um pouco acima de 100 cv

Propulsor 1.0 turbo usado pelo novo SUV da marca não terá injeção direta e potência será menor que a do Tiggo 2. O torque, pelo menos, será generoso
Por Leonardo Felix
17.05.2021 às 11h:00 • Att. há cerca de 1 mês
Propulsor 1.0 turbo usado pelo novo SUV da marca não terá injeção direta e potência será menor que a do Tiggo 2. O torque, pelo menos, será generoso

O informativo da Caoa Chery para divulgar o início da pré-venda do Tiggo 3X aos concessionários contém informações escassas sobre o motor. “1.0 turbo com índice elevado de torque”, é o que descreve o documento a respeito da usina turbocomprimida de três cilindros que empurrará o SUV a ser lançado no Brasil em 31 de maio.

No entanto, a Mobiauto descobriu as especificações técnicas da usina, chamada 1.0 TCi. TCi é a sigla em inglês para “turbocompressor com intercooler”, e indica, como suspeitávamos, que não há injeção direta de combustível. Isso porque os motores Acteco com combustível injetado diretamente na câmara são chamados de TGDi, como o 1.6 do Caoa Chery Tiggo 8

Anuncie seu carro sem pagar na Mobiauto 

Propulsor 1.0 turbo usado pelo novo SUV da marca não terá injeção direta e renderá pouco mais de 100 cv de potência. O torque, pelo menos, será generoso

O 1.0 TCi que equipará o Tiggo 3X é um projeto da segunda geração de propulsores da Acteco, a divisão de motores da Chery, e data de 2009. Seu código interno é o SQRE3T10. Curiosamente, é o mesmo ano de lançamento do hatch Celer, que cede a plataforma e a carroceria ao Tiggo 3X e ao seu antecessor, o Tiggo 2, com quem o novo irmão conviverá.

Tanto que o bloco dessa usina ainda é de ferro. No entanto, o produto passou por algumas atualizações ao longo dos últimos anos e, no caso específico da aplicação para o mercado brasileiro, virou flex e recebeu muitas mudanças no mapa de injeção, especialmente para aumentar o torque.

Leia também: Novo VW Virtus: como fica o sedan com a frente do Polo 2022 europeu

Propulsor 1.0 turbo usado pelo novo SUV da marca não terá injeção direta e renderá pouco mais de 100 cv de potência. O torque, pelo menos, será generoso

Como resultado, enquanto o 1.0 TCi rende 15,3 kgfm de torque na China, sua derivação flexível brasileira deve passar de 17 kgfm usando etanol, com pico na faixa de 1.500 a 4.500 rpm. É mais do que os 13,8/14,9 kgfm (gasolina/etanol), a 2.700 rpm, que o velho propulsor 1.5 16V naturalmente aspirado flex, também fornecido pela Acteco, que equipa o Tiggo 2.

A parte negativa – e que talvez por isso venha sendo escondida a sete chaves pela fabricante – é que sua potência será menor do que os 110/115 cv do Tiggo 2. Na China, o 1.0 TCi rende apenas 102 cv, número que deve ser replicado pelo propulsor nacional com gasolina. Se o combustível for etanol, ele deve alcançar 105 cv a 5.500 rpm.

Leia também: Professor ganha de ex-alunos Fusca que dirigiu por 50 anos e teve de vender

Propulsor 1.0 turbo usado pelo novo SUV da marca não terá injeção direta e renderá pouco mais de 100 cv de potência. O torque, pelo menos, será generoso

Com três cilindros em linha e 12 válvulas, o SQRE3T10 flex do Tiggo 3X possui comando variável de válvulas de admissão, coletor de admissão variável e coletor de escape integrado ao cabeçote para melhorar a eficiência energética e atingir as metas de emissão Euro 6, equivalentes às normas do Proconve L7 e P8 que entrarão em vigor no Brasil a partir de 2022.

O câmbio será CVT com simulação de nove marchas, o mesmo dos sedans Arrizo 5 e Arrizo 6. Porém, no caso dos três-volumes ele vem acoplado ao motor 1.5 TCi, também turboflex sem injeção direta, mas com 150 cv de potência e 21,4 kgfm com qualquer combustível.

Leia também: Avaliação: Fiat Toro 2022, o que melhorou e o que deveria ter melhorado

Propulsor 1.0 turbo usado pelo novo SUV da marca não terá injeção direta e renderá pouco mais de 100 cv de potência. O torque, pelo menos, será generoso

Conforme a Mobiauto publicou em primeira mão na última sexta-feira (14), o Tiggo 3X será comercializado em duas versões no Brasil, Plus e Pro. Ambas já estão em pré-venda nas concessionárias, respectivamente por R$ 99.990 e R$ 103.990, sem contar pintura metálica ou perolizada. 

O sinal é de R$ 2.000 e os primeiros compradores ganham as duas primeiras revisões grátis. Os rivais do Tiggo 3X serão VW Nivus, Honda WR-V e o Progetto 363, o futuro SUV da Fiat que será lançado em setembro sob o nome Domo, Pulse ou Tuo.

De série, pelo menos na versão mais cara, o novo SUV com jeito de hatch aventureiro da Caoa Chery terá partida do motor por botão, quadro de instrumentos com tela digital de 7 polegadas, faróis DRL e projetores de LED, bancos revestidos em couro sintético, central multimídia e rodas de liga leve aro 16.

Propulsor 1.0 turbo usado pelo novo SUV da marca não terá injeção direta e renderá pouco mais de 100 cv de potência. O torque, pelo menos, será generoso

Você também pode se interessar por:

Avaliação: Caoa Chery Tiggo 8 é mesmo a 8ª maravilha do mundo?
Segredo: Caoa Chery Tiggo 8 Plus será Tiggo 8 mais refinado a R$ 200.000
Caoa Chery Tiggo 8 é bem equipado, mas “esquece” alguns itens na China
Caoa Chery Exeed LX: SUV de luxo chinês quer briga com BMW e Mercedes

caoa chery tiggo 3xnovo caoa chery tiggo 3xcaoa chery tiggo 3x turbonovo suv caoa cherycarro suvsuv compactosuv pequeno

Comentários