Caoa vence ação contra Hyundai e Brasil terá picape Santa Cruz e novo Tucson

Após três anos de briga judicial, decisão de tribunal de arbitragem abre caminho para representante importar e até montar novos carros da marca no país
Por Leonardo Felix
23.07.2021 às 14h:38 • Att. há cerca de cerca de 2 meses
Após três anos de briga judicial, decisão de tribunal de arbitragem abre caminho para representante importar e até montar novos carros da marca no país

Após três anos de litígio, o grupo Caoa recebeu decisão favorável do tribunal de arbitragem de Frankfurt (Alemanha) para continuar sendo o representante oficial de veículos importados da Hyundai no Brasil. O desfecho da ação foi revelada na última quinta-feira (23) pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Em maio deste ano, no artigo “Hyundai Santa Cruz: entenda as chances de picape rival da Toro vir ao Brasil”, a Mobiauto mencionou que o lançamento do modelo dependia do desfecho dessa batalha, iniciada em 2018. 

Consulte o valor do seu carro na Tabela Fipe

Com o julgamento favorável à companhia brasileira, abre-se o caminho não apenas para a comercialização, como também para a montagem local da própria Santa Cruz em Anápolis (GO), bem como da nova geração do SUV médio Tucson.

Conforme nossa reportagem vem antecipando desde novembro do ano passado, Santa Cruz e Tucson, ambos irmãos de plataforma, são os dois carros da Hyundai presentes na lista de dez novos modelos que a Caoa prometeu produzir na fábrica goiana até 2025 com um investimento de R$ 1,5 bilhão.

Além deles, a empresa liderada pelo empresário Carlos Alberto de Oliveira Andrade pode destravar a importação de outros modelos, como a nova geração do sedan médio Elantra.

Leia também: Novo Hyundai Creta nacional terá este visual. Saiba quando chega

Após três anos de briga judicial, decisão de tribunal de arbitragem abre caminho para representante importar e até montar novos carros da marca no país
Nova geração do Tucson é um dos modelos que a Caoa deve montar localmente em Anápolis

Entenda a disputa entre Caoa e Hyundai

Os caminhos da Caoa e Hyundai Motor Company se cruzaram oficialmente em 1999. Naquele ano, o grupo brasileiro já havia estabelecido uma das maiores redes de concessionárias no país, com revendas especialmente da Ford.

No entanto, havia perdido alguns meses antes o direito de ser a importadora da Renault, porque a marca francesa decidiu instalar uma filial no país, com direito a fábrica em São José dos Pinhais (PR).

“Órfã” da Renault, a Caoa apostou então suas fichas na Hyundai, que ainda não era muito conhecida nem assimilada pelos consumidores brasileiros. Ao longo de dez anos, o grupo ajudou a construir a imagem da marca sul-coreana, passando por micos como o subcompacto Atos até modelos de grande impacto no mercado, como o SUV médio Tucson.

Leia também: Exclusivo: novo Hyundai Creta conviverá com antigo no Brasil 

Este último, lançado em 2004, marcou a virada de chave da operação. O sucesso foi tamanho que Oliveira Andrade resolveu instalar uma fábrica em Anápolis (GO) para montar localmente veículos da Hyundai. A inauguração ocorreu em 2007 e, dois anos depois, o complexo se tornara responsável por produzir em CKD o próprio Tucson, além dos caminhões  HR e HD78.

Após três anos de briga judicial, decisão de tribunal de arbitragem abre caminho para representante importar e até montar novos carros da marca no país
SUV médio Tucson marcou a ascensão da parceria entre Hyundai e Caoa no país

Encantada com os resultados, a Hyundai resolveu traçar um caminho similar ao da Renault, instalando-se de maneira oficial no país e suplantando a representação via Caoa. Por isso, em 2012 surgia a HMB (Hyundai Motor Brasil) e uma fábrica em Piracicaba (SP), onde  a marca iniciou o fabrico da família HB20. Cinco anos mais tarde, entraria em linha o SUV compacto Creta.

Entretanto, talvez calejada pela experiência com a Renault, a Caoa possuía um contrato de representação muito mais bem amarrado com a Hyundai Motor Company, o que levou a marca coreana a viver uma situação inusitada: ser representada simultaneamente por duas empresas distintas no Brasil.

Leia também: Hyundai Santa Cruz tem caçamba cheia de truques e inovações

Após três anos de briga judicial, decisão de tribunal de arbitragem abre caminho para representante importar e até montar novos carros da marca no país
Família e HB20 e SUV Creta são fabricados pela operação oficial da Hyundai

Enquanto a HMB segue até hoje responsável pela produção e comercialização da família HB20 e do Creta (que, inclusive, está para ganhar uma nova geração em nosso mercado), a Caoa importa o SUV de sete lugares Santa Fe e o sedan grande Azera, e continuou montando localmente:

Tucson (que saiu de linha em 2019); ix35 (segunda geração do Tucson em outros marcados, mas que aqui recebeu outro nome para conviver com o antecessor e deve ser aposentado ao fim deste ano); New Tucson (sim, tivemos três gerações de um mesmo carro sendo vendidas juntas...); os caminhões HR e HD78.

Em 2018, o contrato entre as partes estava para se encerrar, mas previa uma renovação automática por mais dez anos. A HMC, no entanto, tentou usar brechas baseadas em cláusulas de desempenho em vendas para romper o acordo e estabelecer uma renovação por um período menor, de apenas dois anos.

Leia também: Novo Kia Sportage é salada visual que te faz confundir faróis com grade

Após três anos de briga judicial, decisão de tribunal de arbitragem abre caminho para representante importar e até montar novos carros da marca no país
Decisão abre caminho para a Caoa colocar a picape Santa Cruz para brigar com a Fiat Toro em nosso mercado

A Caoa não aceitou a decisão, alegando que as metas não foram cumpridas devido a mudanças na realidade econômica do país, e levou o caso à Justiça. Primeiro, obteve liminares no Brasil para seguir comercializando veículos da antiga parceira. Segundo, acionou o tribunal de arbitragem de Frankfurt, conforme estabelecido contratualmente, para resolver o litígio.

Com a decisão favorável, o mais provável é que a representação seja mantida até 2028, conforme estabelecido originalmente no contrato. Isso significa que a Caoa terá sete anos para investir em novos produtos da Hyundai no país, exceto aqueles que a HMB decidir representar oficialmente.

Você também pode se interessar por:

Avaliação: vale comprar o Hyundai Creta atual com o novo para chegar?
Hyundai HB20 2022 poderá ser controlado pelo dono a distância
Hyundai Santa Cruz quer intimidar Fiat Toro com potência de Amarok V6
Tecnologia vai mudar o design dos carros como nunca vimos antes
 

Hyundai Caoa
Caoa
Hyundai
Hyundai Motor Company
Hyundai Motor Brasil
Hyundai Santa Cruz
Novo Hyundai Tucson
picape
carro SUV
SUV médio
SUV premium
picape compacta média
rosto de óculos escuros

Comentários