PHEV, MHEV, BEV: entenda as siglas de carros elétricos e híbridos

Por trás da sopa de letrinhas, estão conceitos bem diferentes de veículos eletrificados
Por Fernando Vasconcellos
12.04.2022 às 12:18
Por trás da sopa de letrinhas, estão conceitos bem diferentes de veículos eletrificados

Já respondemos na Mobiauto como funciona um motor elétrico e até respondemos as dúvidas mais comuns sobre os carros elétricos, e também sobre modelos híbridos. No entanto, muita gente pensa que os veículos movidos a bateria são todos iguais.

Embora os conceitos sejam parecidos, os modelos eletrificados são classificados por siglas que definem a sua concepção e o modo de funcionamento. Confira no pequeno dicionário abaixo o que elas significam e entenda de uma vez por todas as nomenclaturas dos veículos que utilizam eletricidade em sua propulsão.

Leia também: Como planejar bem uma viagem de carro elétrico no Brasil (e você vai precisar)

EV (Electric Vehicle) - A sigla em inglês para “Veículo Elétrico” é usada para definir os modelos que utilizam somente eletricidade para a sua locomoção. Por definição, EVs são os carros movidos apenas por um ou mais motores elétricos, que podem ser alimentados por baterias ou ter como fonte de energia uma célula de combustível.

BEV (Batery Electric Vehicle) - O “Veículo Elétrico a Bateria” é necessariamente um EV que possui um banco de baterias para alimentar os motores, demandando assim uma recarga externa em tomada, wallbox ou carregadores rápidos. Exemplos de EVs e BEVs: Audi e-tron, Chevrolet Bolt, Fiat 500e, JAC e-JS1, Nissan Leaf, Renault Zoe, Porsche Taycan e Volvo XC40 Recharge.

HEV (Hybrid Electric Vehicle) – O “Veículo Elétrico Híbrido”, diferentemente dos anteriores, combina um motor a combustão a uma ou mais unidades elétricas. Esta sigla, especificamente, designa os híbridos convencionais, também conhecidos como híbridos plenos.

Leia também: Carro elétrico: 12 dúvidas muito comuns que todo mundo tem sobre ele

Num veículo HEV, o propulsor movido a gasolina ou flex é responsável por tracionar as rodas, mas também realiza a função de gerar eletricidade para as baterias junto com as frenagens regenerativas, além de fornecer mais potência em determinadas situações, como arrancadas e ultrapassagens.

Por trás da sopa de letrinhas, estão conceitos bem diferentes de veículos eletrificados

Exemplos de HEVs: Honda Accord e:HEV, Toyota Corolla, Corolla Cross e RAV4.


PHEV (Plug-in Hybrid Electric Vehicle) – O “Veículo Híbrido Plugável” ou híbrido de recarga externa é similar ao HEV, com o diferencial de demandar recarrega externa das baterias, em tomadas ou eletropontos, como se fosse um automóvel 100% elétrico. Isso porque seu banco de baterias costuma ser maior.

Por trás da sopa de letrinhas, estão conceitos bem diferentes de veículos eletrificados
 

Exemplos de PHEVs: Jeep Compass 4Xe, Volvo XC60 Recharge e Porsche Panamera e-Hybrid.


MHEV (Mild Hybrid Electric Vehicle) – O “Veículo Híbrido Leve" ou híbrido parcial geralmente prioriza o motor a combustão para propulsionar o veículo, mas utiliza um pequeno motor elétrico para auxiliar a unidade térmica em algumas situações, como fornecer potência extra, manter os sistemas ligados nas desacelerações enquanto o motor se desacopla etc.

O objetivo é ajudar a economizar combustível. Outro exemplo é quando o pequeno propulsor elétrico entra em ação de maneira breve nas arrancadas e retomadas, garantindo maior agilidade ao veículo sem consumir combustível na fase mais crítica de uso.

Leia também: O que ninguém conta sobre os carros elétricos

Além disso, o sistema possui um alternador de maior capacidade que o dos carros convencionais, a fim de armazenar eletricidade com o objetivo de alimentar outros equipamentos do veículo, como ar-condicionado, central multimídia, assistências de segurança etc.

Por trás da sopa de letrinhas, estão conceitos bem diferentes de veículos eletrificados

Exemplos de MHEVs: Kia Stonic e Range Rover Evoque.


FCEV (Fuel Cell Electric Vehicle) – “Veículos Elétricos com Célula de Combustível” são aqueles que utilizam o hidrogênio líquido pressurizado, combinado ao ar, para gerar eletricidade a partir de uma reação química.

Esses modelos não precisam de um grande conjunto de baterias para fornecer eletricidade aos motores. Assim como os carros a combustão, os movidos a célula de combustível são dotados de um tanque que precisa ser reabastecido com hidrogênio líquido em postos específicos. A eletricidade é obtida por meio da eletrólise, processo que combina hidrogênio e água.

Leia também: 18 carros elétricos e híbridos que serão lançados em 2022

A exemplo dos EVs, os FCEVs não emitem poluentes. Do seu escapamento sai apenas uma pequena quantidade de água. Exemplos de FCEVs: Honda Clarity e Toyota Mirai. No Brasil, fabricantes como Nissan e VW estudam criar células de combustível com etanol, usando microrreformadores para criar uma reação química que transforme álcool em hidrogênio e, então, em energia elétrica.


REEV (Range-Extended Electric Vehicle) – O “Carro Elétrico de Autonomia Prolongada” tem como conceito principal um motor a combustão que funciona como gerador de eletricidade em situações em que a carga da bateria está muito baixa, de modo que a autonomia seja estendida o suficiente para se dirigir até um ponto de recarga. Porém, esse motor não é capaz de mover o veículo.

Por trás da sopa de letrinhas, estão conceitos bem diferentes de veículos eletrificados

Exemplo de REEV: BMW i3.

Talvez você também se interesse: 

Avaliação: Volvo XC40 elétrico quer superar Porsche em desempenho e vendas
Os carros elétricos e híbridos mais vendidos no Brasil em 2021
Qual carro elétrico vendido no Brasil vai mais longe com uma recarga?
Ter um carro elétrico no Brasil vale a pena? Quem tem responde 

Carro Elétrico
Carro Híbrido
Corolla Cross
Kia Stonic
BMW i3
Jeep Compass 4xe
Compass Híbrido
Carro Eletrificado
Carro Elétrico Vale a Pena?
Curiosidades Carros Híbridos

Comentários