Rodízio de pneus: por que é importante e como deve ser feito?

O revezamento é importante e deve ser feito da maneira correta para não gerar problemas. Confira!
Por Renan Bandeira
07.12.2020 às 17:22
O revezamento é importante e deve ser feito da maneira correta para não gerar problemas. Confira!

“Já fez o rodízio dos pneus?”. Com certeza você já foi questionado dessa forma, seja por amigos, mecânicos - ou "mexânicos" -, ou técnicos de lojas especializadas.

Mas qual a importância de fazer o rodízio? A necessidade dessa troca é simples: garantir que os pneus do veículo tenham sempre nível similar de desgaste - em alguns casos, até mesmo o estepe.

A manutenção é do tipo preventiva. Uma forma de aumentar a vida útil do pneu, revezando os que compõem o eixo responsável pela tração do veículo, que têm o desgaste mais elevado, e também de manter condutor e passageiros seguros.

Há duas formas de fazer o rodízio. Uma delas utiliza os quatro pneus que já estão no carro - que é a mais comum - e outra com cinco pneus, acrescentando o estepe.

Confira o valor do seu carro na Tabela Fipe 

Entre as duas opções, a mais utilizada é a com quatro pneus, em que são trocados os dois dianteiros pelos dois traseiros. Nesse caso, seja tração dianteira ou traseira, o revezamento garante que o desgaste seja sempre igual nos componentes do mesmo eixo, e dá uma estabilidade melhor ao veículo.

O outro caso envolve o estepe e é alvo de crítica por alguns condutores. Colocado para atuar ao lado de um pneu mais desgastado, o novo pode atuar de forma distinta, já que seus sulcos estão mais longe do TWI (e medida que indica que o pneu chegou ao limite de uso), e essa diferença entre os conjuntos pode prejudicar a dirigibilidade do veículo. 

Além disso, veículos novos com estepe em tamanho menor - seja no tamanho do aro ou da tala da roda - também podem piorar a condução. Então, cuidado.

É importante que esse serviço seja feito periodicamente, seguindo o que indica o manual de cada veículo. Mas caso não haja especificações, as fabricantes de pneus indicam a troca entre 8.000 e 10.000 km rodados, no caso dos radiais, sendo 5.000 km para os diagonais.

Leia também: Os carros que tiveram os aumentos de preço mais absurdos em 2020 

Como fazer o rodízio?

O revezamento é importante e deve ser feito da maneira correta para não gerar problemas. Confira!

Muitos pensam que o rodízio de pneus é uma tarefa fácil, que pode ser feita até na própria residência. Isso é parcialmente verdade, pois a troca é realmente simples, mas é importante ter atenção às características do seu veículo.

De início, vale lembrar que, após o revezamento dos pneus, é preciso refazer alinhamento e balanceamento do veículo, e também recalibrar os pneus - caso o veículo exija pressão diferente entre eixo dianteiro e traseiro.

Além disso, é importante ressaltar que, se o veículo tiver, de fábrica, rodas com polegadas diferentes entre os eixos dianteiro e traseiro, o rodízio não deve ser realizado.

Antes de iniciar o trabalho, verifique se o pneu é unidirecional, assimétrico ou bidirecional. Se o seu pneu for do tipo unidirecional - que é mais antigo e quase não utilizado mais - com ranhuras da banda em V simétricos, o processo é manter ao mesmo lado, só trocando o eixo - ou seja, o do eixo dianteiro do lado direito vai para o eixo traseiro do lado direito. Do lado esquerdo a ação se repete.

Leia também: VW Taos deve ganhar uma irmã gêmea picape até 2023 

No caso dos assimétricos ou bidirecionais, a troca ocorre da mesma forma ou em X, como mostram as linhas sólidas do desenho.

Rodízio com estepe

O revezamento é importante e deve ser feito da maneira correta para não gerar problemas. Confira!

No caso do revezamento com estepe, é indicado que o pneu novo substitua o dianteiro direito, independente se é do tipo assimétrico, bidirecional ou unidirecional.

O esquema elaborado pela Bridgestone (acima) mostra as trocas recomendadas pelas linhas sólidas e as tracejadas são de uma manutenção alternativa.

Na troca dos pneus unidirecionais, é importante que o estepe seja colocado para rodar com o vértice apontando para o sentido de rotação do veículo. O pneu que estava no eixo dianteiro vai para o traseiro, que vira estepe, concluindo o rodízio.

Caso o proprietário queira mudar o pneu do lado direito para o esquerdo, terá de desmontá-lo da roda para inverter o sentido da banda de rodagem.

Nos bidirecionais ou assimétricos, o dianteiro direito substituído pode tomar o lugar de qualquer outro pneu do veículo, desde que o traseiro esquerdo vá para o lugar do estepe quando a tração é dianteira. No caso de tração traseira, é indicado que o traseiro direito pare de rodar.

 

Talvez você também se interesse: 

Confira ofertas de caminhão perto de você
Qual a melhor categoria de carros para você? Veja vantagens e desvantagens
22 SUVs que serão lançados no Brasil em 2021
Oito carros com manutenção mais assustadora que sexta-feira 13

Rodízio de pneus
Como fazer o rodízio de pneus
manutenção
troca de pneus
pneus

Comentários