Carro que sai de linha desvaloriza mais? É mais difícil revender?

Anúncio do fim da produção de Ford Ka e EcoSport apavorou donos dos modelos. Entenda em que, de fato, eles podem ser afetados
Por Camila Torres
13.01.2021 às 12h:00 • Att. há 13 dias
Anúncio do fim da produção de Ford Ka e EcoSport apavorou donos dos modelos. Entenda em que, de fato, eles podem ser afetados

A Ford anunciou na última segunda-feira (12), que encerrará em 2021 as atividades nas três fábricas que a marca tem no Brasil: Taubaté (SP), Camaçari (BA) e Horizonte (CE). Também informou que quatro modelos serão tirados da linha, e que todos serão vendidos apenas enquanto durarem os estoques.

Porém, a empresa garante que não pretende fazer alterações na rede de concessionárias. Apesar de não fabricar mais carros no Brasil, a marca continuará importando veículos para o país e promete quatro lançamentos para 2021: o SUV Bronco, a van Transit, uma nova versão da picape Ranger e a edição limitada March 1 do esportivo Mustang.

Consulte o valor do seu carro na Tabela Fipe

A notícia pegou grande parte dos consumidores de surpresa, fazendo com que muitos ficassem preocupados com as consequências de seu carro sair de linha. Entre os maiores medos estão a excessiva desvalorização do veículo e o medo de que não haja mais serviços de revisão e pós-venda.

A própria Ford, ciente das dúvidas que assolariam os consumidores, enviou um guia aos concessórios para esclarecer algumas informações. Também recorremos ao CEO da Mobiauto e especialista no mercado automotivo com mais de 20 anos de experiência, Sant Clair de Castro Júnior, para dar algumas orientações aos consumidores sobre desvalorização, revenda e pós-venda de um carro que saiu de linha. 

Quais modelos da Ford vão sair de linha?

A fabricante informou que somente os modelos que são produzidos no Brasil irão sair de linha. São eles: Ka hatch, Ka Sedan e Ford EcoSport, todos produzidos em Camaçari (BA). O jipe Troller T4, produzido em Horizonte (CE), também deixará de ser fabricado. 

A fabricante decidiu abrir mão de veículos menores para investir pesado em SUVs, picapes e modelos eletrificados. Por enquanto, a picape Ranger, o SUV esportivo Edge ST, o Mustang Black Shadow e o recém-lançado Territory continuam em linha no Brasil. 

Leia também: Os 20 carros automáticos mais vendidos no Brasil em 2020

Ka, Ka Sedan, EcoSport e Troller ficarão sem pós-venda?

Segundo a Ford, não. A marca garante que continuará prestando assistência ao consumidor, incluindo serviços como revisões e reposição de peças até ao final da garantia dos veículos.

Até porque as concessionárias Ford continuarão operando normalmente no Brasil para vender os modelos remanescentes (e os que ainda serão lançacos), e a fabricante afirma não ter planos de reduzir sua rede. 

Além disso, o artigo 32 do Código de Defesa do Consumidor determina que “fabricantes e importadores deverão assegurar a oferta de componentes e peças de reposição enquanto não cessar a fabricação ou importação do produto. (...) Cessadas a produção ou importação, a oferta deverá ser mantida por período razoável de tempo, na forma da lei.”

Ou seja: a Ford é obrigada a ainda suprir o mercado com peças de reposição por mais algum tempo (tanto que a fábrica de Camaçari continua operando nas próximas semanas apenas para formar um estoque desses componentes), embora a legislação não diga quanto. Provavelmente será até o fim da garantia das últimas unidades comercializadas de Ka e EcoSport. 

Mas atenção: é bem possível que, em médio prazo, a rede da marca diminua consideravelmente, sim, visto que o volume de vendas cairá substancialmente. Cidades menores tendem a ser as mais afetadas, podendo ficar sem concessionária. Neste caso, será preciso se deslocar alguns km a mais para achar uma revenda nas redondezas.

Leia também: Por que vender carro popular se tornou um pesadelo no Brasil

Carros que saem de linha têm um maior índice de desvalorização?

Sim. Sant Clair de Castro Junior explica que, quando um carro deixa de ser produzido, o acesso a suas peças se torna mais difícil e até mais caro, o que contribui para que o preço de mercado do veículo tenha uma maior desvalorização que o de um modelo que continua em linha, o que provavelmente irá acontecer com os modelos da Ford. 

Leia também: Licenciamento do carro 2021: veja prazos, valores e descontos em cada estado

Carros que não estão mais linha são mais difíceis de revender?

Sim. O CEO da Mobiauto também comenta que, quando um carro sai de linha, as pessoas ficam mais receosas em realizar a compra, já que pensam que terão mais dificuldades de mantê-lo e revendê-lo futuramente, além da perda de valor no mercado. 

“A não ser que o modelo saia de linha e se torne um clássico. Nesse caso, além de não ter o problema de desvalorização, não há dificuldades em repassar o veículo”, completa Sant Clair. 

Leia também: IPVA 2021: saiba como pagar com desconto nos principais estados

“Acabei de dar sinal em um carro da Ford. Posso cancelar devido ao anúncio de tirar o modelo de linha?”

Sim. A Ford orienta que o cliente deve se dirigir até a concessionária onde comprou o veículo para solicitar o cancelamento da compra, de acordo com regulamentação prevista no Código de Defesa do Consumidor.

Leia também: Carro automático abaixo de R$ 60 mil virou lenda. Veja os mais baratos

Ainda vale a pena comprar Ford Ka, Ecosport e Troller T4, mesmo com anúncio de que eles saíram de linha este ano?

Depende. Os modelos da Ford são conhecidos pela qualidade e durabilidade do produto, o que significa que, mesmo saindo de linha, ainda são boas opções de carro. 

O que o consumidor deve ficar atento é ao preço do veículo, sabendo que o veículo deixará o mercado e, consequentemente, irá desvalorizar. Ciente dessa informação, o cliente tem um ótimo argumento para negociar e fechar negócio com um bom desconto. 

Você também pode se interessar por:

Avaliação: Ford Territory vai além da pose de SUV de luxo?
Os 50 carros mais vendidos em 2020 por categoria

Carros que sairam de linha FordFord KaFord EcoSport
Comentários