VW Brasília vira picape insana com motor de caminhão usando só sucata

Projeto “Mad Max” faz sucesso usando chassi de Chevrolet 3100, motor de Mercedes 1113 e muitas outras gambiarras que iam para o lixo
Por Renan Bandeira
08.05.2021 às 12h:00 • Att. há cerca de 1 mês
Projeto “Mad Max” faz sucesso usando chassi de Chevrolet 3100, motor de Mercedes 1113 e muitas outras gambiarras que iam para o lixo

Olhando as imagens você deve estar pensando: o que é isso? Esse foi o mesmo questionamento que fiz quando vi a cabine de um VW Brasília com pneus, rodas, chassi e motor de caminhão.

A Brasília Mad Max, como é conhecida na internet, é uma autêntica picape caveirão caseira e o verdadeiro sinônimo de Frankenstein ambulante. O projeto foi construído por Leandro Torneiro, de Serra Negra (SP), e teve o passo a passo de sua produção mostrado no canal do inventor no Youtube.

Confira o valor de seu carro na nossa Tabela Fipe

Para a construção foram usadas a cabine do Volkswagen, o motor diesel que empurra o caminhão 1113 da Mercedes-Benz e o chassi do Chevrolet 3100 “Boca de Sapo” - apelido dado à picape da marca americana vendida na década de 1950.

“Ficou diferente porque eu fiz com o que tinha, né? Então pegava a sucata lá de fora [da oficina], vinha trazendo e transformando nisso”, contou o inventor. Segundo ele, tudo começou com a Brasília, que foi comprada porque ele precisava de um motor novo para sua empilhadeira. 

Projeto “Mad Max” faz sucesso usando chassi de Chevrolet 3100, motor de Mercedes 1113 e muitas outras gambiarras que iam para o lixo

Com a substituição feita, Torneiro viu sua oficina com duas sucatas de caminhão e a carroceria de um hatch, e iniciou os planos mirabolantes para a construção - que foram incrementados com ideias de seus seguidores.

Leia também: Uno Turbo: a desastrosa 1ª experiência da Fiat com motor turbo

O projeto começou com a estrutura em chassi de longarina do Chevrolet. As vigas de aço foram modificadas e ganharam uma curvatura proposital entre o motor e a cabine, que é mais um tempero para o visual. Por isso, o balanço dianteiro tem uma base plana, e a cabine e balanço traseiro são empinados.

Na dianteira, a colmeia do radiador pode ser vista de longe e não há cofre para o motor, que fica ao vento, como nos bons e velhos hot rods americanos. 

O “Frankenstein” é movido pelo motor seis-cilindros em linha a diesel de 5,7 litros, 147 cv e 41 kgfm do lendário Mercedes 1113, sendo gerenciado por um câmbio manual da Ford, com reduzida e tração traseira.

Projeto “Mad Max” faz sucesso usando chassi de Chevrolet 3100, motor de Mercedes 1113 e muitas outras gambiarras que iam para o lixo

Do caminhão ainda foram aproveitadas as rodas de aço, os pneus e a suspensão do tipo feixe de molas nos dois eixos. A cabine teve de ser remodelada para ganhar forma de picape. Leandro cortou todo o balanço dianteiro da Brasília e manteve apenas o habitáculo sobre o chassi. 

Leia também: Como uma briga de vizinhos fez este Corcel ser içado a 40 m de altura

Ele ainda encurtou a cabine para dar espaço à caçamba na traseira, aproveitando a profundidade do cofre do motor traseiro do Volkswagen. Tal ideia foi adotada a partir de um desenho enviado por um de seus seguidores. Além disso, Torneiro produziu novos pára-lamas para proteger os pneus traseiros.

O pára-brisas dianteiro foi mantido e tem até o adesivo do licenciamento de 1998 da Brasília, mas o vidro traseiro e os laterais traseiros foram substituídos por peças de aço perfurado.

Projeto “Mad Max” faz sucesso usando chassi de Chevrolet 3100, motor de Mercedes 1113 e muitas outras gambiarras que iam para o lixo

O assoalho é novo e foi feito na própria oficina do torneiro mecânico, com chapas de metal soldadas e moldadas. Elas formam o túnel para a transmissão e o cardan, e dão suporte para o banco, que é de ferro.

“O banco dela parece que roubei de uma praça, mas foi eu que fiz. Eu fiz tudo, o assoalho inteiro, o tanque [de combustível]... O tanque é de uma chapa que sobrou da churrasqueira”, contou Leandro. Os pedais de freio, acelerador e embreagem têm um desenho em espiral, mas é o volante a peça que mais chama atenção. 

Projeto “Mad Max” faz sucesso usando chassi de Chevrolet 3100, motor de Mercedes 1113 e muitas outras gambiarras que iam para o lixo

De acordo com Torneiro, o original da Chevrolet 3100 esbarrava nas pernas do condutor e precisou ser substituído. Andando pela oficina, o mecânico encontrou uma corrente de motor e ferros de construção. Com pingos de solda, ele uniu as partes e formou o novo volante.

Leia também: Relâmpago Marquinhos: o Corcel GT sósia da estrela do filme Carros

Para finalizar o estilo Mad Max da ex-Brasília, toda a forração de portas e teto, os carpetes e até o painel foram retirados, deixando toda parte interna em lata pura.

O projeto foi montado apenas com peças de descarte e não tem valor estimado. Além disso, infelizmente, a picape caveirão de Serra Negra não é regularizada para rodar nas ruas, e serve apenas para Leandro treinar suas habilidades de construção.

Imagens: Facebook e Youtube Leandro Torneiro

Talvez você também se interesse por:

Seis picapes que serão lançadas no Brasil em 2021
22 SUVs que serão lançados no Brasil em 2021
13 hatches e sedans que serão lançados no Brasil em 2021
Picape Fiat para brigar com Hilux e S10 está a caminho 


BrasíliaVW BrasíliaBrasília Mad MaxBrasília FrankensteinCarros modificadosCarros antigosBrasília dieselBrasília com motor MercedesBrasília com motor de 1113

Comentários