Jeep Commander poderá ter motor a diesel híbrido leve

Tecnologia deve ficar disponível para os mercados europeu e asiático, mas chances de ser aplicada na derivação brasileira são baixas
Por Renan Bandeira
21.06.2021 às 11h:00 • Att. há cerca de 3 meses
Tecnologia deve ficar disponível para os mercados europeu e asiático, mas chances de ser aplicada na derivação brasileira são baixas

A Jeep já revelou que seu SUV de 7 lugares vai se chamar Commander e a Mobiauto mostrou as projeções de como deve ser o visual do veículo. Ele tem previsão de chegada para o último trimestre deste ano e, aos poucos, deixa de ser um segredo.

Desta vez, um flagra do site indiano Autocar apontou para mais uma novidade do “SUVão”, e ela está localizada embaixo do capô. De acordo com o Autocar, o Commander deve ter um sistema híbrido-leve para os mercados asiático e europeu.

Anuncie seu carro sem pagar na Mobiauto 

Commander deve ser diferente na Índia

Por lá, o sistema híbrido será formado pela combinação do motor 2.0 Multijet turbodiesel de 170 cv, que equipa o Compass - de quem o Commander também herdará boa parte da carroceria e a plataforma Small Wide -, com um sistema elétrico moderado de 48V, que seria usado apenas nas partidas.

Ainda de acordo com o site indiano, o sistema é importante para aliviar o consumo de combustível e o nível de emissões do motor turbodiesel, que manteria a proposta viável para o mercado europeu, onde as normas de emissão são mais rigorosas.

Leia também: Fiat Argo 2022 ganha nova versão, mas e motor 1.0 turbo?

Mas a novidade não deve desembarcar por aqui - pelo menos não agora. Até o momento, sabe-se que o Jeep Commander terá duas motorizações: quatro-cilindros 1.3 GSE turboflex de 180/185 cv (gasolina/etanol) e 27,5 kgfm de torque e quatro-cilindros 2.0 Multijet turbodiesel de cerca de 200 cv e 40 kgfm.

Ambos os trens de força equipam o Compass vendido no Brasil, no entanto, para o irmão de 7 lugares, a Jeep vai calibrar o 2.0 Multijet de 170 cv e 35,7 kgfm para oferecer 200 cv e 51 kgfm.

E, assim como o Compass, para se enquadrar nas normas de emissão da fase 7 do Proconve, o Commander terá o sistema de retrabalho de gases Arla 32. Mas não há novidades sobre a tecnologia híbrida

Motores híbridos para Fiat e Jeep

Mas há esperanças para o futuro hibridizado e eletrificado de Fiat e Jeep no Brasil. De acordo com os colegas do site Autos Segredos, o grupo Stellantis já tem seu plano de eletrificação definido, e as novas tecnologias devem surgir ainda nesta década.

A previsão é de que a tecnologia híbrida seja a primeira a ser trabalhada e tem a chegada prevista para 2024 e 2025. A produção será feita em Betim (MG), onde a marca produz a nova família GSE de motores 1.0 e 1.3 turboflex, e esses são os propulsores que devem ter a incrementação do sistema elétrico.

Leia também: Novo Jeep Compass diesel: por que donos terão de usar ureia no SUV

O sistema deve ser parecido com o 4xe já disponível para os Jeep Compass e Renegade na Europa, que casam o motor 1.3 Firefly turbo a gasolina de 130 ou 180 cv com um motor elétrico de 60 cv, deixando o convencional responsável pela tração do eixo dianteiro e o elétrico pelo traseiro.

Depois, o grupo vai trabalhar a produção de motores 100% elétricos. Mas esses devem ficar disponíveis apenas no final da década, já como parte da segunda etapa de eletrificação da marca.

No entanto, embora a Fiat tenha declarado que não terá mais veículos a combustão na Europa a partir de 2030, a realidade por aqui deve ser diferente, com a montadora mantendo os seus motores convencionais em linha de produção.

Você também pode se interessar por:

Jeep Compass S troca motor diesel pelo turboflex a R$ 187.990
Fiat Toro 2022: cinco coisas que queríamos que mudasse na picape
Fiat terá três SUVs tamanho P, M e G nos próximos anos
Assinar um Fiat ou Jeep custará de R$ 1.350 a R$ 4.730 por mês

Jeep Commander
Jeep de 7 lugares
Motor Jeep Commander
Novo SUV da Jeep
Jeep Commander híbrido
Motor híbrido diesel
Lançamentos
rosto de óculos escuros

Comentários