Chevrolet vai até sortear carro novo em recall de Celta e Classic. Por quê?

Marca oferece R$ 500 em combustível e sorteará três Onix entre proprietários de veículos envolvidos no recall de airbags da Takata
Por Camila Torres
16.04.2021 às 13h:58 • Att. há 29 dias
Marca oferece R$ 500 em combustível e sorteará três Onix entre proprietários de veículos envolvidos no recall de airbags da Takata

A Chevrolet divulgou nesta semana uma campanha inusitada: vai oferecer uma bonificação de R$ 500 em combustível no aplicativo Shell Box para proprietários de Celta e Classic, produzidos entre 2012 e 2016, que levarem seus veículos para realizar o recall do airbag da Takata. 

A campanha é válida de 6 de abril até 30 de junho de 2021. A fabricante irá ainda sortear três Onix para os proprietários que fizerem o recall no prazo estipulado. 

Anuncie seu carro sem pagar na Mobiauto

No caso do Chevrolet Celta, a convocação é válida para as 91.573 unidades fabricadas entre 22 de agosto de 2012 e 15 de abril de 2015. Para Classic, o número é ainda maior: 144.272 unidades produzidas entre 4 de julho de 2012 e 10 de junho de 2016.

É interessante citar que tanto o Celta como o Classic só receberam os airbags dianteiros no final da vida. Os proprietários dos modelos podem conferir se o seu carro está envolvido no recall através do número do chassi, que pode ser consultado no site da GM.


O que motivou o recall do Chevrolet Celta e Classic?

Em janeiro de 2020, em Aracaju (SE), o motorista de um Chevrolet Celta se envolveu em acidente fatal. Segundo a perícia, o Celta estava em uma velocidade 40 km/h quando bateu na traseira de outro veículo.

O acidente parecia fortuito e com consequências meramente materiais, mas enquanto o motorista da frente saiu sem ferimentos, o do Celta morreu devido a um sangramento na região cervical. Isso causou estranhamento nos profissionais que investigavam o caso, já que a colisão não apresentava nenhum indício ou perigo de ser fatal. 

Leia também: Como economizar no seguro: 10 formas de obter desconto

Depois de investigarem o caso mais a fundo, concluíram que o responsável pela morte do motorista foi o airbag da Takata, conhecido mundialmente como airbag mortal. Esse foi o primeiro caso fatal no Brasil. Uma semana depois, outra morte foi notificada pelo mesmo motivo, desta vez envolvendo o motorista de um Honda Civic 2008.

Na época, as marcas tiveram posturas diferentes. A Chevrolet só se posicionou depois de o caso vir à tona e ser procurada pela mídia, enquanto a própria Honda expôs o acidente envolvendo um de seus modelos e reforçou as campanhas de convocação do sedan. 


O que faz o airbag da Takata ser mortal?

Os airbags da Takata são responsáveis pelo maior recall da história da indústria automobilística , com mais de 100 milhões airbags afetados, que simbolizam um pesadelo que ainda não acabou para cerca de 15 marcas de automóveis, entre elas a própria Chevrolet. A Toyota foi a fabricante mais prejudicada até o momento, com mais de 1 milhão de veículos envolvidos. 

Acontece que, em uma colisão, a bolsa do airbag deveria se deflagrar para proteger o motorista e passageiro, evitando o choque dos ocupantes contra o painel. Mas o airbag da Takata apresenta um defeito que faz o insuflador estilhaçar. 

Quando isso acontece, os fragmentos são projetados contra as pessoas a uma velocidade média de 300 km/h, provocando ferimentos graves ou até mesmo a morte. 

Leia também: As seis melhores dicas para comprar um carro usado


Por que a Chevrolet dará R$ 500 e sorteará um carro para donos de Classic e Celta fazerem um recall?

Na última década, a Chevrolet teve seu nome envolvido em certos escândalos por defeitos graves apresentados em seus modelos, como o acidente com o condutor do Chevrolet Celta em 2020 citado acima. 

Pressionada pelo Ministério da Justiça a convocar um novo recall por conta do airbag e com risco de ser penalizada em R$ 10 milhões, caso seja comprovada negligência, a Chevrolet se vê em cenário de poucas alternativas para evitar um novo escândalo, um novo acidente fatal ou uma multa pesada.

Leia também: Os 15 SUVs mais lentos vendidos no Brasil

No Brasil, a aderência a recalls por parte dos consumidores costuma ser muito baixa, o que torna a situação da GM ainda mais difícil. Ciente desta informação, a companhia decidiu desembolsar os R$ 500 em vale-combustível por proprietário, além de sortear os três Onix entre os proprietários que responderam à convocação. 

Antes do acidente fatal, a marca já havia convocado o recall dos modelos Agile, Montana, Sonic, Cruze e Tracker produzidos entre 2012 e 2018, mas não o Celta e o Classic, que também usam o airbag Takata.

Leia também: Quando vale a pena ter uma picape?


Veículos com recall pendente não poderão ser licenciados 

Veículos com recall em aberto a mais de um ano terão o licenciamento do carro bloqueado. A notificação da não realização do reparo será incluída automaticamente no Certificado de Licenciamento Anual do veículo, de acordo com informações divulgadas pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito). 

A nova lei do Código de Trânsito Brasileiro entrou em vigor na última segunda-feira (12/04). Desde 2019, a pendência do recall já constava no licenciamento, mas isso não impendia o proprietário de realizar um novo licenciamento do carro. A medida mais rigorosa tem como objetivo aumentar a aderência de recall no Brasil. 

Leia também: Documento do carro digital: já é possível transferir tudo online?

Talvez você também se interesse: 

Fusca ganha releitura elétrica chinesa e Passat ganha uma da… Hyundai?
O que os carros mais tecnológicos do mundo já são capazes de oferecer
Toyota Corolla Cross híbrido visitará o posto mais do que você imagina
Cinco qualidades do VW Up! que nenhum outro carro popular teve

Comentários