VW Virtus: como sedan será reposicionado para ocupar lugar do Jetta

Três-volumes compacto vai se descolar do Polo em 2022, ganhando visual próprio para ocupar a faixa de preços que um dia já pertenceu ao primo de porte médio
Por Leonardo Felix
16.07.2021 às 13h:16 • Att. há cerca de 2 meses
Três-volumes compacto vai se descolar do Polo em 2022, ganhando visual próprio para ocupar a faixa de preços que um dia já pertenceu ao primo de porte médio

Com Renato Aspromonte

O Volkswagen Virtus nasceu em 2018 como o irmão gêmeo de três volumes da sexta geração do Polo. Com projeto desenvolvido especificamente para o mercado sul-americano, o sedan surgiu com exatamente a mesma dianteira do hatch, porém com entre-eixos esticado em 9 cm (de 2,56 m para 2,65 m) e um balanço traseiro exclusivo.

Em 2022, a relação entre os dois modelos vai mudar. Como a Mobiauto já contou em maio, o Virtus vai se descolar visualmente do Polo na linha 2023, ganhando um rosto próprio. O visual terá um híbrido de faróis herdados do Nivus com uma grade mais larga, inspirada no primo maior Jetta.

Com a mudança, o sedan perderá a versão esportiva GTS, que passará a ser exclusiva do Polo, mas deve receber uma nova configuração de topo, um pouco mais classuda do que esportiva, provavelmente chamada R-Line. Além dela, deve contar com as opções 170 TSI manual, além da Comfortline e Highline 200 TSI.

Isso significa que o novo Virtus deve adotar apenas motorização 1.0 turboflex de três-cilindros com 12 válvulas. Nas variantes mais baratas, o propulsor teria 101/105 cv de potência e 16,7/16,8 kgfm de torque (gasolina/etanol), sempre aliado a um câmbio manual de cinco marchas, como no extinto Up! TSI.

Leia também: Exclusivo: VW Saveiro terá mudança visual e de motor contra nova Strada

Já as de topo continuaria com a calibração de 116/128 cv e 20,4 kgfm, sempre gerenciada pela caixa automática com conversor de torque da Aisin. Resta a dúvida sobre se a VW vai querer adotar o 1.4 TSI (quatro-cilindros 16V turboflex) de 150 cv e 25,5 kgfm em uma hipotética configuração R-Line, mas nossa reportagem aposta que não.

Isso porque o objetivo da fabricante será posicionar o Virtus na mesma faixa de preços que um dia já foi do Jetta, entre R$ 100.000 e R$ 140.000. Por isso, além do novo visual, o sedan deve incorporar tecnologias como controle de cruzeiro adaptativo e frenagem autônoma emergencial (o novo Polo deve receber só o freio autônomo, sem o ACC).

Leia também: Carros para PCD terão teto de R$ 140 mil para IPI. Entenda o desconto

E o que vai acontecer com o Jetta? Essa é a grande questão. Importado do México, o modelo tende a perder espaço não só para o novo Virtus, mas também para o SUV Taos. Se sobreviver à canibalização interna no futuro, será apenas em versões híbridas ou na esportiva GLi, com motor 2.0 TSI a gasolina de 230 cv.

Entenda mais sobre o que muda no Virtus 2023 em mais um vídeo do quadro O Que Vem Pra Pista:

Projeção: Renato Aspromonte/@overboostbr

Você também pode se interessar por:

Novo VW Polo, Polo Track e Virtus: entenda como deve ficar a linha
Exclusivo: VW Polo Track terá motor 1.0 de 86 cv e peças de Gol
Exclusivo: novo VW Virtus terá faróis de Nivus e será diferente do Polo
VW Polo e Virtus: os principais problemas, segundo os donos

VW Virtus
Novo VW Virtus
VW Virtus 2023
carro sedan
sedan compacto médio
sedan compacto premium
vw virtus com cara de nivus
sedan turbo
sedan flex
carro turbo
sedan automático
rosto de óculos escuros

Comentários