Sete carros brasileiros que não andam: se arrastam

Relembramos modelos que ficaram historicamente conhecidos por serem lentos demais
Por Camila Torres
26.11.2020 às 20h:59 • Att. há 27 dias
Relembramos modelos que ficaram historicamente conhecidos por serem lentos demais

Carro lento, manso, manco, tartaruga... Esses são apenas alguns sinônimos ou apelidos para veículos que têm um péssimo desempenho ou se arrastam mais que andam. 

Sabe aquele carro que, quando você pisa no acelerador, parece que está com algum problema no pedal? Ou que, na subida, o motorista jura que o carro vai morrer de falta de ar? 

Listamos sete carros nacionais do passado com 0 a 100 km/h tão demorados que dá até tempo esquentar a lasanha no micro-ondas antes de ele conseguir embalar.

Confira o valor do seu carro na Tabela Fipe

Ao longo dos anos, muita gente se irritou ou se decepcionou com a falta de potência e torque desses modelos, mas hoje há até quem os ache simpáticos e os compre por pura diversão. 

Afinal, se andar lento não é uma opção com esses carros, o jeito é se render e apreciar a viagem com calma e sem nenhuma pressa... Ah! Esquecemos algum modelo que você lembrou? Não tem problema: deixe seu comentário que a gente atualiza.

Os carros nacionais mais lentos no 0 a 100 km/h

1. Volkswagen Gol 1300 Manual 1980

Relembramos modelos que ficaram historicamente conhecidos por serem lentos demais

Desempenho: 50 cv e 9,2 kgfm de torque

0 a 100 km/h: 24,2 segundos

O primeiro e mais lento veículo da lista “carros que não andam se arrastam”, é o Volkswagen Gol de primeira geração, que foi praticamente um “gol contra” para a marca. O modelo tinha a importante missão de substituir o lendário VW Fusca. 

Visualmente, o modelo agradou ao público e o encheu de expectativas. Mas, por erro de estratégia da escolha do motor (um equívoco que, 30 anos depois, muitas marcas continuam cometendo), na época, a VW escolheu equipar um carro novo com o motor antigo do Fusca, modelo que estava para ser substituído.

Leia também: 20 Carros que foram um fracasso no Brasil

Por ser um projeto mais novo, leve e aerodinâmico, o Gol 1300 refrigerado a ar até apresentava um melhor desempenho que o Fusca, mas ainda era muito ruim para a realidade da época, levando quase 25 segundos para levar o velocímetro de 0 a 100 km/h. Além disso, o ruído característico do motor a ar rendeu a ele o apelido de “batedeira”.

A VW até tentou resolver o problema nos anos seguintes com a versão BX, ao inserir o motor 1600, também a ar e vindo do Fusca, mas a performance ainda era muito ruim (mais um “gol contra”). 

Leia também: Quanto custam os carros mais baratos de marcas de luxo no Brasil?

O problema só foi resolvido com a chegada do motor 1.6 refrigerado a água que era usado no Passat, em 85. Mas a expectativa ainda era alta demais para o propulsor, que levava 18,1 segundos para ir de 0 a 100 km/h. 

Apesar de ser um tempo melhor que dos outros motores, ele lhe dava pouca vantagem diante do seu concorrente Fiat 147, lançado em 1976, e que ia de 0 a 100 km/h em 18,8 segundos. 

A VW só foi fazer um “Gol a favor” com seu compacto em 1986, com a versão GT, que utilizava o hoje famoso e cultuado propulsor 1.8 AP de 99 cv declarados.

2. Fiat 147 1.050 Manual 1977

Relembramos modelos que ficaram historicamente conhecidos por serem lentos demais

Desempenho: 55 cv e 7,8 kgfm de torque

0 a 100 km/h: 18,8 segundos

O Fiat 147 marcou a história do universo automotivo, pois foi o primeiro carro movido 100% a álcool produzido no mundo, em 1979. 

O compacto chegou ao Brasil em 1976, não à toa, como um carro revolucionário: era o primeiro modelo nacional com motor dianteiro transversal e tração dianteira, o que otimizava muito seu espaço interno, apesar das dimensões compactas.

Leia também: Simule online o financiamento do seu carro dos sonhos

No entanto, o modelo da Fiat é um ótimo exemplo de carros que não podem ser adquiridos por quem quer andar rápido. Afinal, eram quase 19 segundos para ir de 0 a 100 km/h. Pelo menos o modelo compensava no consumo, fazendo 12,3 km/l na cidade e 18,2 km/l na estrada.

3. Chevrolet Chevette 1.0 Junior 1993

Relembramos modelos que ficaram historicamente conhecidos por serem lentos demais

Desempenho: 50 cv e 7,2 kgfm de torque

0 a 100 km/h: 21,6 segundos

Pouco mais de um ano depois de a Fiat lançar o Uno Mille, com motor 1.0, aproveitando-se de uma nova alíquota de tributação que cobrava menos IPI de modelos com motor com no máximo 1.000 cm³, a Chevrolet resolver fazer o mesmo com o Chevette Junior. 

Porém, não se deu bem como o rival e entrou na lista de versões que tiveram a vida curta, ficando em linha apenas de 1992 a 1993. 

Leia também: 13 sedans e hatches que serão lançados no Brasil em 2021

Apesar das mudanças feitas para o sedan compacto de tração traseira ficar mais leve, elas não ajudaram muito na performance, visto que o Chevette Junior levava 21,6 segundos para ir de 0 a 100 km/h.

O Uno Mille, por exemplo, precisava de 17,4 s para tal (não que este número seja bom, apenas menos ruim). 

4. Ford Escort Hobby Manual 1995

Relembramos modelos que ficaram historicamente conhecidos por serem lentos demais

Desempenho: 52 cv e 7,4 kgfm de torque

0 a 100 km/h: 19,9 segundos

Um carro clássico do universo automotivo que teve parte de sua história marcada negativamente por um motor 1.0 manso demais. No caso, tratava-se do propulsor AE emprestado do Gol 1000. Tempos de Autolatina...

Um 0 a 100 km/h de praticamente 20 segundos já era uma marca muito negativa para a realidade dos anos 1990. O modelo só não era pior que o Chevette Junior citado acima.

Leia também: Oito carros com manutenção mais assustadora que sexta-feira 13

Em 1993, o Ford Escort estreava a segunda geração no Brasil. Mas a anterior continuou em linha e ganhou o sobrenome Hobby, (uma prática comum entre as fabricantes para fazer algo antigo não parecer ultrapassado, como o Chevrolet Joy e o Nissan V-Drive fazem atualmente). 

O modelo era comercializado com motor 1.6, mas ganhou tempos depois o já mencionado motor 1.0 AE. Foi aí que Escort Hobby ficou conhecido até os dias de hoje como um carro lento

5. Fiat Uno Mille Smart 1.0 Manual 2000

Relembramos modelos que ficaram historicamente conhecidos por serem lentos demais

Desempenho: 57 cv e 8,2 kgfm de torque

0 a 100 km/h: 17,5 segundos

Eis aqui o principal responsável pelo crescimento da marca no Brasil. O Fiat Uno foi lançado em 1984 e, nos anos 90, já era um modelo consolidado no mercado brasileiro. 

A fabricante oferecia o compacto com motorizações 1.3, 1.5 e 1.6. E o motor 1.0 viria a seguir, com o anúncio do presidente Fernando Collor de reduzir a tributação para propulsores com deslocamento entre 800 e 1.000 cm³. 

Cerca de 60 dias depois do anúncio do governo, a Fiat apresentava o Uno Mille, com motor 1.0 de 48 cv e 7,4 kgfm de torque, mas que não demoraria para ficar mais potente, como a versão apresentada acima.

Leia também: 22 SUVs que serão lançados no Brasil em 2021

Para quem está se perguntando como a Fiat conseguiu realizar tal feito em tão pouco tempo, ela usou o motor 1.050 fiasa do 147, mas reduziu os pistões para entregar uma versão de 994 cm³.

Apesar do ganho de potência, a mudança na curva de torque e na relação de marchas, devido às regras de emissão mais rígidas, fizeram o seu 0 a 100 km/h piorar em 0,1 segundo de 1991 para 2000. E ter um carro que chega a 100 km/h em mais de 17 segundos em pleno novo milênio não é lá um motivo de tanto orgulho.

6. Fiat Palio 1.0 Manual 2000

Relembramos modelos que ficaram historicamente conhecidos por serem lentos demais

Desempenho: 61 cv e 8,1 kgfm de torque

0 a 100 km/h: 16,3 segundos

O Fiat Palio foi lançado no Brasil em 1996, para brigar pelo mesmo público que o Volkswagen Gol. O hatch da VW saiu vitorioso nesse embate por muitos anos, assim como o Chevrolet Onix em relação ao Hyundai HB20 hoje. Apenas em 2014 o Palio conseguiu o degrau mais alto do pódio no ranking de vendas.

Leia também: 10 carros (ou lasanhas deliciosas) pelo preço de um iPhone 12

Nos anos 2000, o VW Gol já contava com um motor 1.0 mais eficiente, indo de 0 a 100 km/h em 14,4 segundos, uma vantagem significativa em cima do Palio. 

Mas, apesar de o hatch compacto da Fiat ter passado a maior parte da sua vida em segundo lugar no ranking, ele tem uma trajetória gloriosa: de 1996 a 2018 quando deixou de ser produzido, mas de 3 milhões de unidades foram vendidas no Brasil. 

7. Ford Fiesta 1.0 RoCam Manual 2014

Relembramos modelos que ficaram historicamente conhecidos por serem lentos demais

Desempenho: 73 cv e 9,3 kgfm de torque

0 a 100 km/h: 18,6 segundos

É mais fácil relevar um 0 a 100 km/h sofrido nos anos 80, 90 e até 2000, mas quando estamos falando de um carro ano-modelo 2014, fica mais difícil aceitar uma derrapagem tão feia. 

Mesmo com esse motor, o Fiesta tinha um bom número de vendas: em 2014, por exemplo, fechou o ano entre os dez carros mais vendidos no país. 

Confira: 10 carros (ou lasanhas deliciosas) pelo preço de um iPhone 12

Isso mostra que a curiosa estratégia da Ford de aderir a um motor que tivesse menor custo de produção e manutenção, mesmo que oferecesse um desempenho tão inferior, deu certo. Antes do motor RoCam, o antigo propulsor 1.0 da Ford fazia o antigo Fiesta ir de 0 a 100 km/h em 16,8 segundos. 

Os carros mais lentos do presente

Nos dias atuais, apesar da grande evolução dos motores nos últimos tempos (mesmo os 1.0 já são capazes de entregar um desempenho bem mais digno), ainda há carros que podem ser considerados lentos.

Fizemos aqui uma menção a três automóveis que ainda estão em linha e cujo 0 a 100 km/h fica acima de 14 segundos. Eles podem, assim, ser considerados os veículos de passeio mais lentos da atualidade. Confira:

8. Fiat Grand Siena 2020 

Relembramos modelos que ficaram historicamente conhecidos por serem lentos demais

Desempenho: 75 cv e 9,9 kgfm de torque

0 a 100 km/h: 15,8 segundos

Representando os sedans em linha que não andam, se arrastam, temos o Grand Siena, quarto modelo da lista da marca Fiat. Parece que a marca está se especializando em produzir carros lentos. Afinal, só nesta lista já mostrou uma tradição que se arrasta desde 1977 até os dias de hoje. 

O Fiat Grand Siena é derivado da segunda geração do Palio. E além do baixo desempenho, o modelo também não é dos mais econômicos. Abastecido com gasolina, faz 11,1 km/l na cidade e 13,5 km/l na estrada. Mas teve um fator que salvou o sedan do fracasso: o amplo espaço interno casado com o porta-malas de 520 litros. 

Leia também: Quais os melhores carros para viajar? Sete modelos bons de estrada

9. Nissan Versa V-Drive 1.0 Manual 2020

Relembramos modelos que ficaram historicamente conhecidos por serem lentos demais

Desempenho: 77 cv e 10 kgfm de torque

0 a 100 km/h: 16 segundos

E quem leva o primeiro lugar dos carros em linha que não andam, se arrastam é o Nissan V-Drive 1.0 com câmbio manual, que necessita de 16 segundos para ir de 0 a 100 km/h. Mas pelo menos o consumo é bom. O modelo abastecido com gasolina faz 12,9 km/l na cidade e 15,3 km/l na estrada.

O modelo chegou ao Brasil em 2011, mas o visual pacato e conservador somado ao desempenho lento causado pelo motor fraco, foram os principais responsáveis para até hoje a melhor posição conquistada pelo modelo ser o 29º, do ranking de carros mais vendidos de 2018. 

Confira: Como economizar no seguro do carro? 10 formas de conseguir desconto

Embora recentemente tenha chegado a nova geração do Versa ao Brasil com design totalmente reformulado e modernizado, o antigo continua em linha, com o sobrenome V-Drive. Mas se antes o mercado já estava difícil para esse sedan, agora tende a ficar ainda mais.  

10. Renault Kwid 1.0 Manual 2020

Relembramos modelos que ficaram historicamente conhecidos por serem lentos demais

Desempenho: 70 cv e 9,8 kgfm de torque

0 a 100 km/h: 14,7 segundos 

Em linha e entre os dez carros mais vendidos de 2019, o Renault Kwid tem um desempenho pífio, principalmente por se tratar de um carro leve. E considerando a cavalaria, o motor do sub compacto é o menos potente dos carros 0 km vendidos no Brasil. 

Com isso pode-se concluir que o preço final do carro, ainda conta mais que beleza e desempenho. O Renault Kwid ocupa uma lacuna no mercado de veículos novos que lhe dá muita vantagem, afinal, é o único comercializado abaixo do R$ 40 mil. 

Errata: Havíamos colocado a foto errada do Ford Fiesta, pedimos desculpa pela falha e já corrigimos o problema, colocando a foto correta do Fiesta RoCam 2014. 

Talvez você também se interesse: 

20 Carros que foram um fracasso no Brasil
Oito carros com manutenção mais assustadora que sexta-feira 13
22 SUVs que serão lançados no Brasil em 2021
10 carros (ou lasanhas deliciosas) pelo preço de um iPhone 12

Carros lentosCarros mancosMotor FracoMotor mansoCarros mais lentos
Comentários