Nova lei para carros elétricos e híbridos em SP não beneficia quase ninguém

Texto aprovado este mês, mas que remonta a 2014, manteve teto defasado de R$ 150 mil. Nenhum elétrico ou híbrido 0km entra na cota e mesmo lista de usados é escassa
Por Renan Bandeira
17.06.2021 às 14h:26 • Att. há cerca de 3 meses
Texto aprovado este mês, mas que remonta a 2014, manteve teto defasado de R$ 150 mil. Nenhum elétrico ou híbrido 0km entra na cota e mesmo lista de usados é escassa

De maneira um tanto controversa, a Prefeitura de São Paulo sancionou neste mês, uma nova lei para incentivar o uso de carros elétricos e híbridos na cidade. Mas a novidade não deve beneficiar tanta gente assim...

Desde 2014, por meio da Lei nº 15.997, a administração dá aos proprietários desses veículos o direito de restituir parte do valor pago no IPVA. Sem um sistema claro para resgatar o valor, o texto foi atualizado neste mês com a Lei nº 17.563, e estimula o comprador transformando parte do IPVA em créditos para quitar o IPTU. 

Anuncie seu carro sem pagar na Mobiauto

Mas há um pequeno problema: há sete anos, quando o primeiro texto foi publicado, estipulava que só veículos com valor até R$ 150.000 teriam o direito ao benefício. E o novo texto não atualizou o tal teto.

Dessa forma, não há opções de veículos elétricos ou híbridos novos no mercado para conseguir o abatimento do IPVA. 

O Toyota Corolla Altis Hybrid, por exemplo, que é o híbrido mais em conta vendido por aqui atualmente, parte de R$ 154.890. Já o JAC iEV20, que é o 100% elétrico mais barato do Brasil, começa em R$ 159.990.

E a realidade não deve mudar tão logo. Questionada sobre um possível aumento do teto, a Prefeitura disse à Mobiauto que “nesse primeiro momento, não há previsão de ajustes de valores.”

Leia também: Carro elétrico: 12 dúvidas muito comuns que todo mundo tem sobre ele

Com o limite defasado, a lei contempla apenas compradores de elétricos e híbridos seminovos ou usados, desde que tenham no máximo cinco anos de uso. 

Para comprovar que o veículo não supera o teto, não vale apresentar valor de Tabela Fipe ou DUT da compra de um híbrido ou elétrico usado, mas sim a nota fiscal, mostrando que o carro custava menos de R$ 150.000 quando foi faturado 0 km.

Veículos que entram no benefício

Texto aprovado este mês, mas que remonta a 2014, manteve teto defasado de R$ 150 mil. Nenhum elétrico ou híbrido 0km entra na cota e mesmo lista de usados é escassa

A Mobiauto listou as (poucas) opções elétricas e híbridas abaixo de R$ 150.000 vendidas nos últimos cinco anos no Brasil, e que são elegíveis no programa:

Toyota Corolla 2019: R$ 124.990

Toyota Prius 2017: R$ 126.600

Renault Zoe 2019: R$ 149.990

JAC iEV20 2020: R$ 129.990

JAC iEV40 2019: R$ 139.990

Lembrou de algum outro modelo que também conquistaria o benefício? Deixe nos comentários.

Leia também: Entenda nova lei de emissões que vai matar Fox, Uno e outros dinossauros

Como restituir o valor do IPVA dos elétricos e híbridos

Para conseguir a restituição do imposto, a Prefeitura de São Paulo cobra que “o interessado em receber a devolução da cota parte deverá ter - e apresentar - a nota fiscal para comprar o valor do veículo", conforme dito acima.

Além disso, para solicitar o serviço, o dono deve reunir os seguintes documentos:

  • - Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo – CRLV - cópia simples ou documento digitalizado;
  • - RG - cópia simples ou documento digitalizado;
  • - CPF ou CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) - cópia simples ou documento digitalizado;
  • - CNH do proprietário do veículo ou beneficiário;
  • - Nota fiscal da compra do veículo ou código de verificação da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) emitida pela concessionária- cópia simples ou documento digitalizado.

A administração ainda informa que o benefício pode ser pedido para mais de um veículo.

Você também pode se interessar por:

Crise de semicondutores vai longe e deixará carros ainda mais caros
Nissan terá carros elétricos com célula de etanol para dispensar recarga
O que ninguém conta sobre os carros elétricos
Avaliação: carro elétrico mais vendido no Brasil é enorme e sem retrovisor


carros elétricos
carros híbridos
nova lei de incentivo
Prefeitura de SP
carros elétricos em SP
Carros híbridos em SP
Benefício de ter carro elétricos ou híbrido
rosto de óculos escuros

Comentários