Carros que comprávamos com R$ 100.000 antes da pandemia e agora

Antes, era possível escolher sedans médios e SUVs mais completos nessa faixa de preço. Agora, pelo mesmo valor restam hatches, sedans compactos e SUVs de entrada
Por Camila Torres
03.09.2021 às 11h:00 • Att. há cerca de cerca de 2 meses
Antes, era possível escolher sedans médios e SUVs mais completos nessa faixa de preço. Agora, pelo mesmo valor restam hatches, sedans compactos e SUVs de entrada

Imerso em um cenário pandêmico há aproximadamente um ano e meio, o mercado automotivo, assim como todos os outros, vem refletindo mês após mês as sequelas da Covid-19. Mas quem mais sente é quem paga a conta. Sem alternativas, só resta ao consumidor arcar com preços assustadoramente mais caros ao comprar carro em 2021.

É do conhecimento de todo brasileiro que tudo encareceu nos últimos tempos, inclusive os veículos. Mas o quanto isso impacta no poder de compra de cada consumidor? A resposta para essa pergunta não é objetiva, mas pode ser autoexplicativa se compararmos os preços dos carros antes da pandemia com os valores atuais. 

Anuncie seu carro sem pagar na Mobiauto

Escolhemos um recorte para tratar este tema: levantamos apenas os modelos 0 km que eram comercializados entre R$ 95.000 e R$ 105.000 em março de 2020, e comparamos com carros que estão nessa mesma faixa de preço em agosto de 2020. O intervalo é de 17 meses, o suficiente para um mercado ir da estabilidade ao caos.

Nesse período, fábricas foram paralisadas e até deixaram de produzir peças para produzir máscaras. O dólar disparou. Faltaram insumos no mundo todo. O poder aquisitivo da população foi corroído pela inflação. 

Leia também: Os 10 SUVs flex mais econômicos do Brasil

Faltaram também carros novos nas concessionárias. As filas de espera se tornaram gigantes. Modelos seminovos passaram a custar mais que novos, numa jogada estratégica dos lojistas para atender e lucrar com os clientes que não queriam esperar. 

Automóveis usados valorizaram como nunca e todos ao mesmo tempo. Enquanto isso, a renda média do brasileiro despenca. Mas o mercado não pode parar. E não parou. Apenas tem cobrado caro para quem deseja manter a roda girando. Abaixo mostramos quanto.

Leia também: Com preços tão altos, vale mais comprar um carro novo ou seminovo?


Hatches de R$ 100.000

Antes, era possível escolher sedans médios e SUVs mais completos nessa faixa de preço. Agora, pelo mesmo valor restam hatches, sedans compactos e SUVs de entrada

Antes da pandemia, poucos hatches de marcas populares chegavam à casa dos R$ 100.000. Eles ficavam geralmente na faixa dos R$ 80.000, no máximo R$ 90.000, até mesmo nas versões topo de linha. 

Levantando todos os hatches ofertados entre R$ 95.000 e R$ 105.000 em março de 2020, encontramos apenas dois modelos: Volkswagen Polo, na versão esportiva GTS, e o Chevrolet Cruze Sport6, este já um hatch de porte médio. 

Cerca de um ano e meio depois, a lista de hatches nesta faixa de valor triplicou. Modelos como Toyota Yaris e o novo Peugeot 208 já custam mais de seis dígitos. 

Isso só confirma que nem mesmo a categoria de carros mais barata do país, que é líder de vendas justamente por conta do preço, também tem recebido reajustes de gente grande.

A dupla Chevrolet Onix e Hyundai HB20 não entrou na lista por pouco, já que as configurações mais caras dos modelos já custam R$ 93.190 e R$ 92.690, respectivamente. Ou seja: logo, logo eles também se juntarão ao grupo.

Leia também: Hyundai HB20 mata motor 1.6 e ganha versão 1.0 turbo manual de R$ 80.000

Antes da pandemia:

Volkswagen Polo GTS - R$ 99.470
Chevrolet Cruze Sport6 1.4 Turbo LT - R$ 101.990

Depois da pandemia:

Renault Sandero R.S 2.0 MT: R$ 95.790
Toyota Yaris XS Connect 1.5 AT - R$ 97.990
Honda Fit EX 1.5 Aspirado AT - R$ 98.400
Toyota Yaris X-Way Connect 1.5 AT - R$ 102.390
Peugeot 208 Allure 1.6 AT - R$ 98.990
Peugeot 208 Griffe 1.6 AT - R$ 101.990
Volkswagen Polo Highline 200 TSI AT - R$ 100.990 


Sedans de R$ 100.000

Antes, era possível escolher sedans médios e SUVs mais completos nessa faixa de preço. Agora, pelo mesmo valor restam hatches, sedans compactos e SUVs de entrada

A categoria de sedans é uma das que mostra mais claramente os impactos dos altos reajustes no bolso do consumidor brasileiro. Antes da pandemia, com R$ 100.000 era possível escolher um desses sedans médios para levar para casa: Toyota Corolla, Honda Civic, Volkswagen Jetta e Kia Cerato.

Tem até um Civic Touring na lista, por R$ 105.500. Hoje, essa mesma versão custa mais de R$ 157.000. O sonho do sedan médio terá que ficar no passado para muitos consumidores.

Os sedans médios sofreram reajustes generosos nos últimos meses, e não é mais possível encontrar um desses sete modelos listados abaixo por menos de R$ 115.000. Para quem não pode fugir dos R$ 100.000, só restaram os sedans compactos, como Chevrolet Onix Plus, Honda City e Fiat Cronos

Antes da pandemia:

Honda Civic LX 2.0 - R$ 99.200
Volkswagen Jetta 250 TSI AT - R$ 99.990
Toyota Corolla GLi 2.0 AT - R$ 101.990
Chevrolet Cruze 1.4 Turbo LT - R$ 101.990
Citroën C4 Lounge 1.6 Shine THP - R$ 103.990
Kia Cerato 2.0 SX - R$ 104.990
Honda Civic Sport 1.5 TurboAT - R$ 105.500

Leia também: Avaliação: Honda Civic está ameaçado no Brasil, mas ainda é um carrão

Depois da pandemia:

Nissan Versa Advance 1.6 AT - R$ 97.190
Chevrolet Onix Plus Premier 2 1.0 Turbo AT - R$ 97.750
Volkswagen Virtus Comfortline 200 TSI AT - R$ 98.390
Fiat Cronos Precision 1.8 AT - R$ 98.631
Honda City EX 1.5 Aspirado AT - R$ 99.700
Toyota Yaris Sedan XS Connect 1.5 AT - R$ 100.690

Leia também: Exclusivo: novo Honda City sedan nas ruas do Brasil só em 2022


SUVs de R$ 100.000

Antes, era possível escolher sedans médios e SUVs mais completos nessa faixa de preço. Agora, pelo mesmo valor restam hatches, sedans compactos e SUVs de entrada

Parece uma realidade distantes, mas em março de 2020 era possível comprar, por exemplo, um Honda HR-V por R$ 95.000, ou uma das versões mais caras de Jeep Renegade, Peugeot 2008 e Ford EcoSport por até R$ 105.000.  

Mas depois que o mundo descambou por causa da pandemia, o que ajuda a contentar o consumidor é ainda encontrar pelo menos versões de entrada desses SUVs nessa faixa de preço.

Seguindo o mesmo orçamento, quem podia comprar um Renegade Longitude em 2020 agora só consegue pagar um Renegade STD. No lugar do Caoa Chery Tiggo 5X, agora o jeito é levar o irmão menor Tiggo 3X. E ao invés de um Peugeot 2008 turbinado, um Renault Stepway. Ou versões de entrada de VW T-Cross e Chevrolet Tracker

Antes da pandemia

Hyundai Creta Pulse 1.6 AT - R$ 94.990
Honda HR-V 1.8 Flex LX - R$ 95.700
Ford EcoSport 1.5 Titanium AT - R$ 95.990
Honda HR-V 1.8 EX AT - R$ 103.000
Volkswagen T-Cross 200 TSI AT - R$ 99.990
Caoa Chery Tiggo 5X TXS - R$ 99.990
Peugeot 2008 Griffe 1.6 THP AT - R$ 103.490
Nissan Kicks SL 1.6 AT - R$ 103.990
Citroën Cactus Shine P. 1.6 AT - R$ 103.990
Jeep Renegade Longitude - R$ 105.490

Leia também: Jeep Compass 2022: espera pelo SUV já chega ao ano que vem

Depois da pandemia 

Jeep Renegade STD 1.8 AT - R$ 96.084
Novo Nissan Kicks Sense 1.6 MT - R$ 96.040
Volkswagen T-Cross Sense 200 TSI AT - R$ 96.290
Renault Stepway Iconic 1.6 AT - R$ 99.620
Chevrolet Tracker 1.0 Turbo MT - R$ 99.750
Hyundai Creta Action 1.6 AT - R$ 99.790
Caoa Chery Tiggo 3X - R$ 101.990
Honda WR-V EX 1.5 Aspirado AT - R$ 102.900


Picape de R$ 100.000

Antes, era possível escolher sedans médios e SUVs mais completos nessa faixa de preço. Agora, pelo mesmo valor restam hatches, sedans compactos e SUVs de entrada

Nós respeitamos muito a história da Fiat Strada, mas em 2020, uma Fiat Toro Endurance 1.8 MT custava menos que uma Strada Volcano 1.3 MT hoje. Claro que consideramos que a Strada foi completamente renovada no ano passado, mas ela continua sendo uma picape compacta.

Infelizmente, quem quiser uma picape nova de até R$ 100 mil para casa em 2021 só tem três opções: a que acabamos de citar, a Volkswagen Saveiro Cross (que passa de R$ 100 mil usando a base do Gol de 2008) e a Renault Duster Oroch

Quer uma picape maior? O jeito é pagar R$ 25.000 a mais para levar a nova Fiat Toro na versão de entrada para casa. E é melhor não demorar, pois até dezembro ainda deveremos ter muitos reajustes pela frente. 

Antes da pandemia

Fiat Toro 1.8 Endurance MT - R$ 96.990
Fiat Toro 1.8 Endurance AT6 - R$ 102.990

Leia também: Avaliação: Fiat Toro 2022, o que melhorou e o que deveria ter melhorado

Depois da pandemia:

Fiat Strada Volcano Cabine Dupla 1.3 MT - R$ 101.311
Renault Duster Oroch 1.6 MT - R$ 102.500
Volkswagen Saveiro Cross 1.6 MT - R$ 104.450


Talvez você também se interesse: 

Com preços tão altos, vale mais comprar um carro novo ou seminovo?
Oito SUVs automáticos que você ainda pode comprar por até R$ 100.000
Os 10 melhores carros de até R$ 100 mil com motor turbo
Seguro por assinatura ou sem perfil: quando é vantagem e quando é fria
Como o disparo do preço dos carros afeta o valor do seu IPVA 

SUVs
Sedans
Hatches
Picapes
Carros na faixa de 100 mil
Antes e depois da pandemia
rosto de óculos escuros

Comentários