Investimento da Stellantis e o futuro de Renegade, Compass e Toro

Conglomerado fará investimento histórico e que deve ditar novos rumos da operação no Brasil
Renan Bandeira
Por
29.02.2024 às 19:00
Conglomerado fará investimento histórico e que deve ditar novos rumos da operação no Brasil

A Stellantis já anunciou há um tempo que fará um investimento histórico na indústria nacional. Mobiauto, inclusive, contou detalhes de como deve ser distribuído esse capital entre as empresas aqui no Brasil.

O novo ciclo de investimentos da Stellantis será anunciado no início de março, durante reunião com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Ele será um aporte complementar aos R$ 18,7 bilhões anunciados anteriormente, e com previsão final para 2025.

Você também pode se interessar por:

O conglomerado automotivo ainda não fala em valores, nem mesmo até quando vai durar o novo investimento. Fato é que o valor ditará o futuro dos Jeep Renegade e Compass e da Fiat Toro, no Brasil. Isso mesmo, os três principais produtos do grupo nos últimos anos.

Para Jeep Compass e Fiat Toro, temos boas notícias. Ambos os modelos deverão seguir em linha por meio da nova plataforma STLA Medium. Como o próprio nome diz, trata-se de uma base para carros de porte médio, com entre-eixos entre 2,7 metros e 2,9 metros, e um comprimento total entre 4,3 metros e 4,9 metros. Porte que comporta o SUV e a picape.

O site Auto Express havia informado, ainda em 2022, que o Compass aproveitará essa nova estrutura para crescer, melhorando espaço interno e volume de porta-malas, consequentemente. E com isso abriria espaço para que a atual geração continuasse a venda no Brasil, como opção de entrada na linha Jeep, como o Auto segredos já contou. Para isso, o SUV receberia um sobrenome para se diferenciar da nova geração, à exemplo do que a Renault fez com Duster este ano.

Antes disso, o Compass receberá o motor Hurricane 4, que é o 2.0 turbo a gasolina usado na Rampage e no Wrangler, como sua última atualização na geração atual. Isso deve durar por cerca de dois anos, quando o SUV completará 10 anos de mercado, e receberá sua nova plataforma.

Além do SUV, a Fiat Toro também deve ser renovada. A picape terá uma série de novas rivais nos próximos anos e precisa se atualizar para seguir como modelo de entrada com caçamba da Stellantis, proporcionando um bom lucro para o grupo e uma boa dose de renovação também.

Ao que tudo indica, além de Chevrolet Montana e da nova Renault Oroch (que teve protótipo apresentado como Niágara), a Toro deve ter a concorrência da nova VW Tarok e de uma inédita picape da Hyundai.

A grande sacada da STLA Medium, já usada no novo Peugeot 3008, é que ela comporta motores elétricos de potência entre 217 cv e 387 cv. Isso quer dizer que, além de opções híbridas que Compass e Toro certamente terão, tanto SUV quanto picape poderão receber também configurações elétricas.

Ou seja, o futuro de Compass e Toro está bem encaminhado. E em um futuro não tão distante será híbrido, tendo o 1.3 turbo flex de até 185 cavalos de potência e 27,5 kgfm de torque, trabalhando junto de um propulsor elétrico, para formar um híbrido do tipo convencional ou plug-in.

Temos uma aplicação desse tipo já no Brasil com o Compass 4xe. O modelo não fez sucesso por aqui por causa do alto preço praticado, mas usa o 1.3 turbo a gasolina (não foi ajustado para funcionar a etanol) junto de um sistema elétrico que vai a tomada.

E o Renegade?

Este é o que terá um fim trágico. O Jeep Renegade já não tem um futuro tão otimista quanto os irmãos de plataforma citados acima. O modelo não tem nova geração prevista para outros mercados, e deverá sair de linha também no Brasil.

Sua única salvação é que o Avenger, SUV compacto construído sobre a plataforma CMP, será fabricado em Betim, Minas Gerais. E a Stellantis pode colocar o nome Renegade no produto por causa da forte marca que foi criada sobre a nomenclatura, deixando a assinatura Avenger apenas para outros mercados.

No entanto, essa seria a única forma de o Renegade continuar em nosso mercado, já que sua plataforma será descontinuada.

Tem mais novidades na área

Atualizações das fábricas devem continuar acontecendo com o novo investimento. Ou seja, o novo ciclo vai basicamente dar sequência ao que já é feito atualmente. Betim, deve passar a construir carros sobre a base CMP, citada acima, e que pertence a PSA, sendo usada nos Citroën C3 e C3 Aircross.

Mobiauto já revelou, em apuração conjunta com o Autos Segredos, que o primeiro produto Fiat com a tal estrutura será o F1H, que é o antigo 328, o projeto do novo Argo. A grande expectativa é que ela dê vida a nova geração do Argo, que deve se tornar um SUV e que teve visual antecipado por desenhos industriais vazados.

Outras novidades dentro do investimento serão as novas gerações de Fiat Pulse, Fastback, Rampage, Commander, 2008 e 208, pelo menos.

Commander e Rampage, por exemplo, devem também mudar de plataforma e ganhar algum tipo de eletrificação no motor. Afinal, até o fim dessa década, em 2030, as novas regras de emissões ficarão ainda mais rigorosas e cobrarão algum tipo de sistema elétrico nos carros para conter poluentes.

Projeção Compass: Reprodução/Autoo

  Receba as reportagens da Mobiauto via Whatsapp


Investimento
Investimento Stellantis
Investimento no ramo automotivo
mercado automotivo
Compass turbo
Jeep Renegade
Nova Fiat Toro
Novo Jeep Compass
Novo Argo

Comentários