SUVs exclusivos para PCD estão em extinção. Veja alternativas

Os modelos mais buscados estão com as vendas suspensas.
Por Renan Bandeira
30.10.2020 às 17h:03 • Att. há 13 dias
Os modelos mais buscados estão com as vendas suspensas.

 Os SUVs estão dominando os emplacamentos neste ano, com 38,85% das vendas do mercado nacional, segundo dados da Fenabrave (associação nacional dos concessionários. O percentual de vendas, que ultrapassa até mesmo os hatches, leva como trunfo a grande liquidez dos SUVs que são oferecidos ao público PcD.

Mesmo com o teto de R$ 70 mil para isenção completa de IPI e ICMS, marcas como Chevrolet, Jeep, Volkswagen, Nissan e Hyundai vinham oferecendo versões de seus SUV compactos Tracker, Renegade, T-Cross, Kicks e Creta, respectivamente, voltadas especificamente a pessoas com deficiência.

Os modelos mais buscados estão com as vendas suspensas e não há previsão de volta ao catálogo das marcas.

Leia também:  8 Carros automáticos 0 km de até 70 mil 

Com as isenções tributárias, os valores dos modelos caíam para a casa dos R$ 55 mil, passando a ser uma boa opção no atual mercado de zero-quilômetro. Aí bastava oferecer pacotes de acessórios para equipar os modelos decentemente, chegando a um valor final próximo dos R$ 70 mil - como já foi mostrado pela Mobiauto.

Os SUVs com preço baixo, somados à facilidade de se enquadrar como PcD, elevaram as vendas da categoria no mercado. Como exemplo, pode ser citado o Volkswagen T-Cross, que em julho deste ano registrou 10.211 unidades vendidas. Desse total, 7.113 ou cerca de 70% eram da versão Sense, destinada apenas a clientes PCD.

No entanto, isso está mudando. O teto congelado há 11 anos, aliado à alta do dólar e à elevação dos preços dos automóveis no Brasil, tem prejudicado a oferta dessas versões por aqui.

Leia também: Os 10 melhores hatches novos na faixa de R$ 70 mil

Os modelos mais buscados estão com as vendas suspensas e não há previsão de volta ao catálogo das marcas.
 

Além disso, uma nova regra do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária), que enquadra como elegíveis de desconto pessoas com grau de deficiência média ou grave, com níveis de 3 a 5, deixará de fora do mercado para PCD pessoas com problemas leves, de níveis 1 e 2, a partir de 2021. 

Enfermidades como câncer, artrose e tendinite, por exemplo, que antes davam direito ao desconto, devem passar a ser rejeitadas. O benefício deve ser mantido apenas a pessoas que tenham paraplegia, nanismo, paralisia cerebral, deformidade congênita ou adquirida, amputação ou ausência de membros.

Diante de todo esse cenário, os SUVs voltados a clientes PCD têm se tornado menos atraentes às fabricantes, que já começam a tirar as opções de linha. Nesta semana, a Volkswagen e a Jeep anunciaram às suas respectivas redes a suspensão das vendas de T-Cross e Renegade PCD a partir de novembro.

Os modelos mais buscados estão com as vendas suspensas e não há previsão de volta ao catálogo das marcas.

Atualmente, entre os veículos citados no texto, apenas três opções ainda podem ser encontradas para compra: Hyundai Creta, Nissan Kicks e Chevrolet Tracker - que tem novo lote disponível. Porém, não se sabe até quando ficarão disponíveis para faturamento.

Leia também: SUVs para PCD já chegam a R$ 70.000 completos, mesmo com isenções

Sem T-Cross e Renegade, o que comprar?

Com modelos mais buscados fora de combate, a reportagem da Mobiauto avaliou opções que não são diretamente destinadas diretamente ao público PCD, mas, por oferecerem câmbio automático, tornam-se legítimas alternativas para algumas deficiências. 

As fabricantes oferecem descontos especiais que, somados à isenção do IPI, deixam o preços próximo dos R$ 70.000 - já com bons pacotes de itens de série. 

Jeep Renegade

Os modelos mais buscados estão com as vendas suspensas e não há previsão de volta ao catálogo das marcas.

A Jeep anunciou a suspensão das vendas da versão 10x do Renegade nesta semana e só atenderá os faturamentos feitos até 31 de outubro. Sem a opção mais em conta, a própria fabricante passou a oferecer uma nova variante.

Essa seria a versão STD com câmbio automático. Com preço sugerido de R$ 81.590 no configurador da marca, ficaria por R$ 73.505 sem o IPI. A marca ainda oferece um desconto bônus de 12%, deixando a opção por R$ 64.684.

Com motor 1.8 flex de 139/135 cv e 19,3/18,8 kgfm (etanol/gasolina), aliado ao câmbio automático de seis marchas, ele tem como principais itens de série: ar-condicionado, ajuste de altura e profundidade do volante, computador de bordo, controle de estabilidade e tração com assistente de subida em rampas, direção elétrica, freio a disco nas quatro rodas, freio de estacionamento eletrônico, luzes de condução diurna, controle de cruzeiro, start-stop, rodas de liga leve de 16 polegadas, retrovisores externos elétricos e monitoramento da pressão dos pneus.

Leia também: Avaliação: VW Nivus, vale mais a pena a versão Comfortline ou Highline?

Volkswagen Nivus

Os modelos mais buscados estão com as vendas suspensas e não há previsão de volta ao catálogo das marcas.

Esse já teve o nome vinculado a uma possível versão PcD, mas não chegou a integrar este catálogo da marca. Porém, com o irmão mais velho T-Cross fora de combate, a versão de entrada do SUV compacto cupê passa a ser uma boa alternativa.

A Volkswagen oferece em seu configurador de venda direta o Comfortline com desconto e isenção de IPI. Com isso, o veículo passa dos R$ 87.350 tabelados para R$ 73.559. Ainda que esteja um pouco acima do valor cobrado pelas versões PCD dos SUVs compactos, mesmo com os pacotes de acessórios, ele se torna uma opção viável.

Seu motor é o 200 TSI (1.0 turboflex de injeção direta), com 128/116 cv e 20,4 kgfm, aliado a câmbio automático de seis marchas, e a lista de equipamentos inclui: ar, controles de estabilidade e tração com assistente de subida em rampa, volante com ajuste de altura e profundidade, câmera de ré, retrovisores externos elétricos com função tilt-down no lado direito, faróis em LED com luzes de condução diurna, controle de cruzeiro, sensores de estacionamento traseiros, volante multifuncional e central multimídia de 6,5 polegadas e projeção de celulares, e rodas de liga leve aro 16.

Chevrolet Tracker LT

Os modelos mais buscados estão com as vendas suspensas e não há previsão de volta ao catálogo das marcas.
A novela Tracker PcD chegou ao fim, e a Chevrolet voltou a disponibilizar o modelo - que não era ofertado desde maio - em seu configurador. O SUV segue respeitando o teto de R$ 70.000 para isenção de ICMS e IPI, que deixa o veículo por R$ 58.266.

Além dessa opção, a marca disponibiliza a configuração LT, que é avaliada em R$ 97.290 e com desconto fica por R$ 81.593.

Entre os principais itens de série, estão: seis airbags, assistente de partida em rampa, controle de estabilidade e tração, rodas de liga leve de 16 polegadas, direção elétrica progressiva, central multimídia MyLink de 8 polegadas compatível com Android Auto e Apple CarPlay, luz de condução diurna, painel de instrumentos TFT digital de 3,5 polegadas, volante multifuncional, sensor de estacionamento traseiro, retrovisores externos elétricos, câmera de ré, controlador de velocidade de cruzeiro e sistema start-stop.

O motor é o já conhecido 1.0 turbo de 116 cv e 16,8/16,3 kgfm de torque aliado ao câmbio automático de seis marchas, e opção de troca manual por meio do seletor eletrônico ERS. 

Além dos SUVs...

Os SUVs são os mais buscados entre o público PcD devido a sua posição de dirigir e o espaço interno. Por ter preço mais elevado, as fabricantes têm dificuldade em manter versões com bons pacotes de opcionais dentro do teto limite de R$ 70.000, e as opções estão cada vez mais restritas. 

Com os SUVs PcD quase extintos, modelos como Fiat Cronos e os Chevrolet Onix e Onix Plus, passam a ser boas opções.

Fiat Cronos 1.8 automático

Os modelos mais buscados estão com as vendas suspensas e não há previsão de volta ao catálogo das marcas.

O sedan compacto da Fiat é oferecido com o já conhecido motor E-Torq 1.8 de 139 cv e 19,3 kgfm de torque, que equipava a antiga geração da Fiat Strada e que está presente nas versões de todo do Cronos. O motor será aliado ao câmbio automático sequencial de seis marchas.

O modelo tem como principais itens de série: central multimídia de 7 polegadas compatível com Apple CarPlay e Android Auto, volante multifuncional, sensor de pressão dos pneus, sensor de estacionamento, assistente de partida em rampa, controle de tração e estabilidade, frenagem de emergência e direção elétrica progressiva.

O Fiat ainda oferece 525 litros de porta-malas e pode ser encontrado em três cores: Branco Banchisa (sólida), Prata Bari e Cinza Silverstone (metálicas).

 Com isenção de impostos, a versão pode ser comprada por R$ 54.655.    

Chevrolet Onix e Onix Plus Turbo AT

Os modelos mais buscados estão com as vendas suspensas e não há previsão de volta ao catálogo das marcas.

Ambos os modelos são oferecidos para o público PcD com o motor 1.0 turbo de 116 cv e 16,8/16,3 kgfm de torque aliado ao câmbio automático de seis marchas, e opção de troca manual por meio do seletor eletrônico ERS.

O hatch conta o pacote R7B¹, que tem como principais itens: direção elétrica progressiva, seis airbags, controle eletrônico de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, computador de bordo e rodas de aço de 15" polegadas com calotas. 

Já sedan é equipado com o pacote R8B², que conta com os mesmos itens de série do R7B¹ e adiciona o volante multifuncional.

O Onix tem valor tabelado em R$ 65.390, mas com descontos de ICMS e IPI, pode ser comprado por R$ 54.429. Enquanto o Plus passa de R$ 68.390 para R$ 56.927, com as isenções. 

[video]

Você também pode se interessar:

Hyundai Creta 2021 aposta em versões abaixo de R$ 100.000
Os 10 carros automáticos 0 km mais baratos à venda no Brasil
Caoa Chery Tiggo 8: cinco elementos que SUV empresta de carros de luxo

Carros PcDSUV PcdRenegade PcdT-Cross PcDKicks PcDCreta PcDNivus PcDTracker PcD
Comentários